<<voltar


7.3. Integração com a comunidade


Aspectos gerais

Até a promulgação da Constituição Federal de 1988 era comum a tomada de decisão por parte dos administradores sem procurar saber dos anseios da população em relação ao problema: é a chamada solução de "cima para baixo".

A participação da comunidade na limpeza urbana restringia-se quase sempre a reclamações e críticas aos responsáveis pelo serviço ou à Administração Municipal.

Por que a população deve ser ouvida modelo de caminhão coletor para aumentar a freqüência do serviço?

Ora, pode ser que mais importante que isso seja a implantação do serviço de coleta numa área situada em cota elevada utilizando-se carroça puxada por animais.

E não é difícil de se entender esta opção.

Basta lembrar que o lixo não recolhido nestes locais invariavelmente irá ter às áreas baixas servidas pela coleta.

Outro aspecto importante da participação da comunidade esta na conservação da limpeza nos logradouros públicos.

Vale aqui repetir-se a frase:

"Mais importante que limpar é não sujar!"

O usuário do serviço é, também, o responsável pela geração e acondicionamento do lixo a ser coletado.

Isto tudo serve para demonstrar o papel decisivo de cada habitante na busca da melhor solução, principalmente em se tratando de limpeza urbana.

voltar ao topo >>

Formas de comunicação

É preciso buscar formas de comunicação capazes de mobilizar cada comunidade para uma participação efetiva no cotidiano da limpeza urbana, seja através de associações de moradores, clubes de serviço (Rotary, Lions, etc.) ou associações comerciais.

O ideal é iniciar uma campanha de "impacto" que desperte a consciência da população para o problema.

Isto pode ser feito veiculando-se anúncios através de rádio, jornal, cartazes de rua, literatura de cordel e, em cidades maiores, até na televisão.

A realização de debates, palestras ou conferências em escolas, clubes e outras entidades associativas são também importantes. Mas de nada valerão estes esforços se não houver continuidade do programa.

Além de conscientizar é preciso mobilizar a comunidade, e isto somente será possível se forem mantidas campanhas permanentes.

A realização de eventos do tipo Semana do Gari são eficientes neste tipo de comunicação, atingindo um outro aspecto fundamental que é a valorização profissional do trabalhador da limpeza urbana.

Campanhas educativas podem ser desenvolvidas junto as escolas do Município.

Não se pode deixar de utilizar o elemento que talvez seja o mais direto no contato com a população: O próprio gari.

A distribuição de circulares, folhetos e a própria conversa do gari (desde que devidamente preparado) com a população devem ser procedimentos utilizados sempre que possível.

voltar ao topo >>