TECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

 

 

Janete Magali de Araújo(1)

Professora do Departamento de Antibióticos da UFPE; Doutora pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP); Membro do Grupo de Resíduos Sólidos (GRS) da UFPE; Membro da Equipe Executora do Projeto CTPETRO / FINEPE.

Maria Alice Gomes de Andrade Lima(2)

Professora do Departamento de Engenharia Química da UFPE; Doutora pela Escola de Química da UFRJ; Membro do Grupo de Resíduos Sólidos (GRS) da UFPE;

José Fernando Thomé Jucá (3)

Professor do Depto de Eng. Civil da UFPE; Doutor pela Universidad Politécnica de Madrid; Coordenador do Grupo de Resíduos Sólidos-GRS (UFPE); Coordenador do Programa de Monitoramento do Aterro da Muribeca; Membro da equipe executora do Projeto Desenvolvimento Sustentável do Município do Rio Formoso-UNICAP/AVINA/UFPE; Coordenador Técnico do Projeto: Diagnóstico de Resíduos Sólidos no Estado de Pernambuco, Convênio SECTMA/FADE/UFPE/MMA.

Veruschka Escarião Dessoles Monteiro(4)

Doutoranda em Engenharia Civil (Geotecnia) da Universidade Federal de Pernambuco; Mestre em Engenharia Civil (Geotecnia) pela Universidade Federal de Pernambuco; Especialização: Curso Internacional sobre Mecánica del Suelo e Ingenieria de Cimentaciones – Madrid – España. Aperfeiçoamento: Estudo e Análise Experimental de Fluxo em Meio Não Saturado: Aplicação a Contaminação do Subsolo; Membro do Grupo de Resíduos Sólidos (GRS) – UFPE.

Catarina Uchôa(5)

Estudante de Engenharia Química da UFPE, Bolsista de iniciação científica (CNPq) do Departamento de Engenharia Civil - Área :Geotecnia, vinculada ao Projeto: Geotecnia Ambiental; Membro do Grupo de Resíduos Sólidos (GRS) da UFPE.

Endereço(1) : Rua Domingos Sávio, 113 / 304 Piedade Jaboatão dos Guararapes PE Fone: (81) 9964 0320

e-mail: janetemagali@zipmail.com.br

 

 

RESUMO

Ultimamente uma importante mudança vem se processando através da implantação da gestão dos resíduos sólidos urbanos, fundamentalmente nos países em desenvolvimento. A troca do enfoque tradicional por planos integrados pode contribuir  para o desenvolvimento na gestão dos resíduos. É evidente a necessidade de se promover uma gestão adequada, a fim de prevenir ou reduzir os possíveis efeitos negativos sobre o meio ambiente e os riscos para a saúde humana. A implantação de um plano de gestão para os resíduos depositados no Aterro da Muribeca, vem contribuindo para reduzir o impacto ambiental da região e melhorar a qualidade de vida da população. Neste trabalho, faz-se uma avaliação, através do monitoramento ambiental do Aterro da Muribeca, da eficiência do processo de disposição e tratamento dos resíduos depositados no Aterro, como uma contribuição na gestão ambiental de resíduos sólidos.

 

 

PALAVRAS-CHAVE: Aterros, Resíduos Sólidos Urbanos, Monitoramento Ambiental, Gestão.

 

 

INTRODUÇÃO

Uma importante preocupação do mundo moderno é o desenvolvimento de vias ecologicamente sensatas e sanitariamente proveitosas das milhões de toneladas de RSU geradas. A gestão inadequada dos resíduos sólidos têm efeitos negativos na saúde (Kiely, 1999).

Os objetivos principais do manejo de resíduos sólidos municipais e perigosos são a proteção e o melhoramento da saúde humana e do entorno ambiental ( recursos hídricos, ar e solo ) através da redução da exposição dos seres humanos a lesões, acidentes e doenças como conseqüência do manejo inadequado dos resíduos sólidos (García & Jofré, 2000).

Nos últimos anos está se produzindo uma importante mudança na implantação da gestão dos resíduos sólidos urbanos, fundamentalmente nos países em vias de desenvolvimento. Trata-se de substituir o tradicional enfoque técnico- administrativo por planos integrados que reconheçam a importância de fatores sócio- culturais na gestão dos resíduos (Furedy, 1994).

A busca de soluções para o problema dos resíduos tem se constituído num enorme empreendimento, sobretudo no que concerne à poluição dos solos, do ar e dos recursos hídricos do planeta. É evidente a necessidade de se promover uma gestão adequada, a fim de prevenir ou reduzir os possíveis efeitos negativos sobre o meio ambiente e os riscos para a saúde humana. Levando em consideração esta necessidade, as medidas devem ser adotadas de modo a evitar o abandono ou a eliminação descontrolada dos resíduos (Monteiro & Jucá 1999).

Neste contexto, está incluído a grande maioria dos lixões e aterros do Brasil e mais particularmente o Aterro da Muribeca que representa o maior aterro de resíduos sólidos em operação do Estado de Pernambuco.

O Aterro da Muribeca está situado na Região Metropolitana de Recife no Município de Jaboatão dos Guararapes. Recebe diariamente 2.800 toneladas de resíduos domésticos, hospitalares e industriais sendo, cerca de 60% do lixo composto de material orgânico, 15% de papéis, 8% de plásticos, 2% de metais, 2% de vidros e 13% outros. Possui uma área de 60 hectares e desde 1985, funciona como depósito de resíduos. O processo de transformação da área em aterro controlado consiste na construção de 9 Células (200x200m), cuja espessura da camada de lixo varia de 20 a 30m, aproximadamente. O tratamento adotado para as Células, consiste na recirculação do chorume das Células 1, 2 e 3, as quais foram instrumentadas seguida de sua implementação para as demais Células.

O objetivo deste trabalho é avaliar, através do monitoramento ambiental do Aterro da Muribeca, a eficiência do processo de disposição e tratamento dos resíduos como uma contribuição na gestão ambiental de resíduos sólidos.

 

 

METODOLOGIA

O processo de disposição dos resíduos e o tratamento empregado foi avaliado seguindo a metodologia de amostragens de líquidos (chorume), sólidos e gases, verificando a evolução do processo de degradação dos resíduos ao longo do tempo.

          As amostras do chorume e de lixo foram coletadas em pontos das Células em profundidades variadas.

Nos líquidos foram determinados pH, DBO, DQO entre outros parâmetros, além de teores de metais, segundo o Standard Methods for the Examination of water and wastewater (1992 e 1995).

          As análises microbiológicas foram realizadas segundo Palmisano & Barlaz (1996).

          Para os sólidos foram estudados os seguintes parâmetros: temperatura, recalques superficiais (placas) e profundos (aranhas), resistência (sondagens SPT), umidade, sólidos voláteis e pH. Os parâmetros foram obtidos através de instrumentação instalada nas Células (Jucá et al., 1999 e 2000). Para a realização das sondagens SPT, são observadas as prescrições das normas NBR-8036 (Normas Gerais de Sondagem de Reconhecimento para Fundações de Edifícios), NBR-6484 (Método de Execução de Sondagem) e NBR-6502 (Terminologia de Rochas e Solos) da ABNT. O equipamento utilizado é o convencional utilizado para solos com algumas alterações para o lixo. Para as análise de pH, umidade e sólidos voláteis foram seguidas as recomendações de WHO - International Reference Center for Wastes Disposal (1979).

          As medições de concentração dos gases emitidas foram realizadas utilizando o equipamento LFG-20 da ADC( The Analytil Development CO. LTD. ) o qual fornece dados da percentagem de Metano, Oxigênio e Dióxido de carbono. Foram realizados estudos referentes a emissão dos gases pelos pontos de inoculação das Células e camadas de cobertura (Maciel & Jucá, 1999).

 

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

          Alguns resultados do monitoramento realizado na Células !, 2, 3 e 4 estão apresentados na Figura 1.

Figura 1: Análises de aeróbios e anaeróbios dos líquidos das Células 1, 2 3 e 4

 

          De acordo com a Figura 1 todas as células monitoradas apresentam uma evolução crescente dos anaeróbios e consequentemente uma redução dos microrganismos aeróbios. Este comportamento mostra uma evolução do processo de decomposição dos resíduos independente do tratamento utilizado. Observa-se uma regularidade com relação a contagem de microrganismos anaeróbios e aeróbios, para as 4 Células monitoradas, indicando uma predominância dos microorganismos anaeróbios . em decorrência do processo ainda se encontrar em fase de evolução

          As análises realizadas para os sólidos e gases confirmam o estágio de decomposição dos resíduos depositados nas Células 1, 2, 3 e 4, com resíduos na fase final (Células 1 e 2) e inicial (Células 3 e 4).

          Os resultados físico-químicos e microbiológico dos líquidos bem como os dados de recalque, temperatura, umidade, sólidos voláteis, pH e concentração de gases, demostram o comportamento bem definido dos resíduos orgânicos (60% (p/p)) depositados nas Células monitoradas. O comportamento observado para as Células 1 e 2 mostra que estas se encontram na fase final de degradação da matéria orgânica enquanto que para as Células 3 e 4 observa-se evolução da flora anaeróbia, uma vez que os resíduos sólidos se encontram na fase inicial de decomposição. Estes parâmetros são coerentes com a idade, altura, composição dos resíduos entre outros fatores.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

As condições climáticas de nossa região tropical favorecem  o processo natural de degradação dos resíduos sólidos depositados em aterros. O uso de métodos executivos adequados, envolvendo boa compactação e cobertura dos resíduos com material adequado, favorece a decomposição anaeróbia natural independente do emprego de tecnologias.

A implantação de um plano de gestão para os resíduos depositados no Aterro da Muribeca vem contribuindo para reduzir os impactos ambientais da região bem a melhoria da qualidade de vida da população.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Furedy, C. (1994), “Solid Wastes in the Waste Economy: Socio-Cultural Aspect”, Proceedings of a Workshop Funded by: International Development Research Centre, Ottawa. Hanoi, August 22-25, Internet: http://www.utoronto.ca/env/vietpro/waste/Chapt4.htm.

García, A.L.E. & Jofré, J.M. (2000), “Aspectos Sociales y Laborales en la Gestión de Resíduos, Curso de Medio Ambiente de Suances, Universidade de Cantabria, pp. 1-29, España.

Jucá, J.F.T., Melo, V.L.A., Monteiro, V.E.D. (2000), “Ensaios de Penetração Dinâmica (SPT) em Aterros de Resíduos Sólidos”, IX SILUBESA – Simpósio Luso-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, Porto Seguro – BA, CD.

Jucá, J.F.T., Monteiro, V.E.D., Oliveira, F.J.S, Maciel, F.J. (1999), “Monitoramento Ambiental do Aterro de Resíduos Sólidos da Muribeca, III Seminário Nacional sobre Resíduos Sólidos Urbanos”, Toledo, Paraná, CD.

Kiely, G. (1999), “ Ingeniería Ambiental. Fundamentos, Entornos, Tecnologías y Sistemas de Gestión”, Mc Graw-Hill / Interamericana de España, S.A U., pp. 1-1331, España.

Maciel,F.J. e Jucá, J.F.T., (1999), “Laboratory and Field Tests for Studying Gas Flow on MSW Landfill Cover Soil, GeoDenver2000, Colorado –U.S.A.

Monteiro, V.E.D. & Jucá, J.F.T. (1999), “Gestão Ambiental no Processo de Recuperação da Área do Aterro de Resíduos Sólidos da Muribeca”, III Encontro Nacional da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (Eco-Eco), Recife – PE, CD.

Palmisano, A. C. & Barlaz, M. A. (1996), “Microbiology of Solid Waste”, Edited by Anna C. Palmisano, Morton A. Barlaz, pp. 1-224.

WHO - International Reference Center for wastes disposal. (1979), Methods of analysis of sewage sludge solid wastes and compost. Switzerland.