AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA UTILIZAÇÃO DO COMPOSTO ORGÂNICO “FERTILURB” NA CULTURA OLERÍCOLA “LACTUCA SATIVA” ALFACE

 

 

Mauro Wanderley Lima (1)

Gerente de Departamento da Gerência de Pesquisas Aplicadas da COMLURB - Companhia Municipal de Limpeza Urbana desde Junho de 1993. Especialização em ciência e tecnologia ambiental (Environmental Science and Technology - International Institute for Hydraulic and Environmental Engine Ering - Delft - Holland) 1991 / 1992. Pós - Graduação - Mestrado em Ciência dos Materiais - na COPPE / UFRJ - Janeiro 1986. Superior - Engenheiro - Universidade Federal do Rio de Janeiro - 1981.

Fábio Gomes Soares(2)

Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Especialização em Gestão Estratégica em Agronegócios “Agribusiness” pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Especialização em Engenharia Sanitária e Controle Ambiental pela Escola Nacional de Saúde Pública - Fundação Oswaldo Cruz. Consultor Técnico em Gestão Ambiental - Multicoop.  

 

Endereço(2):  Av do Canal; 720; apto: 304 - Realengo - Rio de Janeiro - RJ - CEP. 21.755 - 410

Tel / fax: 574 - 2452/ E-mail:  biags@terra.com.br ou comligp@rio.terra.com.br / Tel:  (021)91070288

 

RESUMO

O presente trabalho objetivou avaliar o composto de resíduo urbano como insumo agrícola, capaz de fornecer nutrientes às plantas hortaliças, de clima subtropical e temperado. Na oportunidade foi instalado experimento testando-se 0; 10; 20 3e 30 ton/ha do composto e 10 ton/ha de cama  de aviário. As dosagens aplicadas aumentaram a produtividade da cultura da alface “Lactuca sativa”, embora a adição de 10 ton/ha, tenha apresentado melhores resultados. Quanto aos parâmetros sanitários do composto  urbano “Fertilurb”, os resultados são satisfatórios tendo em vista a ausência de enterobactérias patogênicas e densidades de coliformes fecais, demonstrando segurânça do ponto de fitosanitário.

 

PALAVRAS-CHAVE: Fertilurb - Alface

 

 

INTRODUÇÃO

Dentre as alternativas de destinação  do lixo, a compostagem, para posterior uso em agricultura, é a que tem se mostrado mais  viável economicamente. em função da oferta e dos teores residuais de adubações anteriores. proporcionando com isso efeitos na produtividade. O composto de resíduo urbano é bastante rico em matéria orgânica e devido à crescente demanda nas áreas de cultivo de hortaliças, aliados  a carência de esterco em áreas produtoras(pecuária), vem se tornando um ótima alternativa. Entretanto o uso indiscriminado do composto tem despertado controvérsias entre agricultores, técnicos e ambientalistas, em função de suas características físico-químicas e microbiológicas, quando comparadas a alguns padrões internacionais(Collier, 1992).

Assim o presente trabalho torna-se necessário para nortear o desenvolvimento de projetos de compostagem de resíduos sólidos.

         

MATERIAIS E MÉTODOS

Foi implantado experimento, utilizando-se diferentes dosagens de matéria orgânica (FERTILURB, cama - de - aviário) e adubos minerais. A cultura escolhida foi a Lactuca Sativa “ALFACE”.

O local será a Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, cujo clima predominante é o subtropical e temperado.  As observações também serão direcionadas quanto aos aspectos das modificações que o solo poderá sofrer, e ser avaliado quanto a absorção e distribuição de metais pesados em função das dosagens aplicadas.

 

Em microbiologia se observará a qualidade do FERTILURB, atividade da microfauna do solo e a Fixação Biológica de Nitrogênio (F.B.N.), além dos aspectos sanitários..

 

 

PRIMEIRA ETAPA: Estudos Básicos

 

Diz respeito a produção do composto a partir dos Resíduos Urbanos, onde ocorre processo seletivo, a produção do composto propriamente dita e o monitoramento. Além da avaliação físico química e a biossignificância dos metais presentes no composto.

 

 

RESULTADOS DA PRIMEIRA ETAPA:

 

Quadro 1 - Análise de Fertilidade do Composto FERTILURB.

 

Amostra

 

pH água

 

 

meq / 100 mL

 

 

C %

 

ppm

 

 

1 : 2,5

Al

Ca

Mg

H + Al

 

Na

K

Pass

 

Composto Fertilurb

8,0

0,0

11,0

1,9

4,0

11,75

1141

1693

281

 

Área da hortaliça

5,6

0,0

3,0

1,0

8,4

3,20

23

90

269

 

 Análise: Embrapa / CNPS

 

Quadro 2 - Análise granulométrica da área experimental na profundidade de 0 a 20 cm antes da implantação do experimento.

Amostra

Areia Grossa %

Areia Fina %

Silte %

Argila %

Área Hortaliça

04

03

45

48

 Análise: Embrapa / CNPS

 

Os resultados do quadro 01 e 02 demonstram que o material é rico em fósforo assimilável, potássio, cálcio e matéria orgânica.

 

Segundo os valores dos quadro 01 e 02, pode-se comprovar  três prováveis efeitos diretos do composto: Químico, disponibilizando os nutrientes em quantidades maiores; efeitos Físicos, neste caso proporcionando elevada quantidades de matéria orgânica, que proporciona ao solo uma melhor estabilização dos agregados, retendo maior umidade, aeração e atividade dos microorganismos.  Está demonstrado aqui o valor agronômico do material.

 

 

SEGUNDA ETAPA: Análise microbiológica do FERTILURB

 

Serão observados a qualidade do composto e a atividade microbiológica do solo e a F.B.N.

 

Quadro 3

Data

Amostra analisada

Análise

Resultados

15/05/2000

01

Coliformes fecais * (NMP/g)

1.700

23/05/2000

01

Coliformes fecais * (NMP/g)

20

30/05/2000

01

Coliformes fecais * (NMP/g)

80

NMP - número mais provável

* Os valores de NMP foram transformados de NMP/100ml para NMP/g para facilitar comparações dos  valores.

 

Os resultados das análises demonstraram ausência de enterobactérias patogênicas e dencidade de coliforme fecais expressos no quadro 03, quando o desejável é que as densidades indicadoras de poluição fecal em composto orgânico sejam inferiores a 100, sendo este considerado seguro do ponto de sanitário.

 

Quanto ao valor 1700 descrito no quadro 03, é preciso considerar o manejo do material durante a carga e descarga contribuindo obviamente para a provável contaminação do mesmo. Isto ocorreu em função das dificuldades encontradas para manter o material coletado estéril.

 

 

TERCEIRA ETAPA:

Visando obter melhores resultados no tocante as concentrações de macro e micronuteientes e metais pesados no manejo de Olerícola optou-se assim a escolha da Daucus Carota “Cenoura”, conhecida com a cultura indicadora de Metais Pesados, além disso por apresentar um sistema radicular axial cônico com características volumosa e ricas em reservas, favorecendo assim as análises.

 

Quadro 4 - Teores médio (mg/kg) de alguns macro e micronutrientes e metais pesados encontrados na parte aérea da cenoura(1), em função de diversas doses de Fertilurb.

FERTILURB  (ton / ha)

mg/kg

0,0

12,5

25,0

50

100

C.V (%)

Ca

19.718,29 a

18.009,31 a

19.432,88 a

20.701,18 a

20.188,94 a

11

Mg

3.554,07 a

3.863,10 a

3.539,25 a

3.494,22 a

3.357,98 a

11

K

20.661,53 a

26.083,30 a

28.489,34 a

35.477,50 a

26.999,26 a

30

Fe

2.346,33 a

2.010,45 a

2.148,22 a

1.701,78 a

1.715,97 a

25

Mn

52,30 ab

66,93

50,90 a

41,60 b

44,07 ab

20

Zn

45,03 a

40,03 a

38,28 a

47,58 a

54,54 a

26

Cu

10,99 a

10,59 a

10,14 a

11,60 a

11,97 a

15

Cr

1,64 a

1,58 a

1,69 a

1,29 a

1,63 a

25

Cd  *

0,55 a

0,51 a

0,46 a

0,23 a

0,36 a

34

Co

0,72 a

0,61 a

0,66 a

0,44 a

0,50 a

32

Ni  *

0,33 a

0,42 a

0,65 a

0,30 a

0,52 a

60

(1) = valores nas linhas seguidas de letras desiguais diferem pelo teste de TUKEY (P<0,05)

* = houve perda de parcelas, o que influenciou o resultado.

Fonte: EMBRAPA / CNPS

Quadro 5 - Teores médio (mg/kg) de alguns elementos macro e micronutrientes e metais pesados encontrados na raiz tuberoso da cenoura(1) função de diversas doses de Fertilurb.

FERTILURB  (ton / ha)

mg/kg

0,0

12,5

25,0

50

100

C.V (%)

Ca

4.399,47 a

3.494,l0 a

4.4045,10 a

3.605,71 a

4.661,10 a

20

Mg

1.889,64 a

1.360,37 a

1.719,84 a

1.426,18 a

1.873,43 a

20

Fe

41.314,10 a

34.5l6,53 a

40.787,08 a

32.727,66 a

44.404,27 a

18

Mn

230,93 ab

9,85 a

10,82 a

6,27 b

9,04 ab

47

Zn

33,53 a

25,9l a

39,23 a

27,49 a

35,45 a

23

Cu

5,19 a

4,34 a

6,29 a

4,67 a

6,66 a

26

Cr  *

0,35 a

0,25 a

0,52 a

0,28 a

0,75 a

73

Cd 

< LD

< LD

< LD

< LD

< LD

-

Co

< LD

< LD

< LD

< LD

< LD

-

Ni 

< LD

< LD

< LD

< LD

< LD

-

(1) = valores nas linhas seguidas de letras desiguais diferem pelo teste de TUKEY (P, 0,05)

* = houve perda de parcelas, o que influenciou o resultado.

Fonte: EMBRAPA / CNPS

 

 

RESULTADO DA TERCEIRA ETAPA:

 

Os quadros 04, 05 mostram que a utilização de até 100 ton/ha, não proporcionou problemas de contaminação por METAIS PESADOS. Logo a nível de 5% pelo teste de TUKEY não houve diferença entre o nível de utilização do composto e a testemunha absoluta.

 

Além disso, os teores encontrados na raiz axial cônica, parte comestível, apresentaram limites normais encontrados em plantas (webber et al, 1984) demonstrando que, seja na parte aérea (folhas) ou subterrânea (raiz) , estão abaixo dos limites críticos apresentado por webber et al (l984), no que concerne a fitotoxidez.

 

 

QUARTA ETAPA

 

Em avaliação de campo realizado antes do corte (Lactuca Sativa “Alface”) e colheita, já se pode comprovar o efeito da incorporação do composto urbano, visto o quadro 06.

 

Embora o ciclo da alface seja curto (40 dias), após a repicagem da mudas para o canteiro definitivo, já na segunda avaliação, os tratamentos que receberam composto e cama-de-aviário apresentaram maior número de plantas com diâmetro comercial, em relação à testemunha absoluta.  Dessa forma esses tratamentos tiveram o efeito de adiantar o ciclo da Alface, provavelmente por ter colocado à disposição da cultura a maior quantidade de nutriente, bem como os efeitos residuais do composto fertilurb.

 

Quadro 06: Massa média de raízes de alface e sua relação com a cabeça após dosagem contínua do composto urbano (CV. Regina).

tratamento

massa da raíz(g)

cabeça de alface/raízes

testemunha absoluta

13,26 b

19,96 b

10ton/cama de aviário

19,42 a

19,74 b

10ton  de fertilurb

15,44 ab

17,68 b

20ton de fertilurb

12,94 b

21,18 ab

30ton de fertilurb

11,51 b

27,62 a

CV(%)

22,94

22,51

Valores seguidos  pela mesma letra nas colunas não diferem signifiacamente pelo teste de Duncan a 5%.

 

 

 

 

Quadro 07: Massa média de raízes de alface colhida após o uso de três dosagens de fertilurb.

 

Blocos

Tratamentos

10

20

30

40

médias

10ton/ha de cama de aviário

350,38

383,33

350,95

440,93

381,40

testemunha absoluta

155,23

205,81

226,82

323,72

227,90

10ton /ha de fertilurb

285,12

296,13

205,91

305,91

273,27

20ton/ha de fertilurb

226,59

276,82

262,73

318,37

271,13

30ton/ha de fertilurb

303,18

296,28

336,82

320,45

314,18

 

 

RESULTADO DA QUARTA ETAPA

 

 

Em princípio, pode-se dizer que nesse primeiro cultivo de hortaliças, o efeito químico, favoreceu maior disponibilidade de nutrientes na solução do solo em decorrência dos efeitos físicos do composto fertilurb que  condicionou melhor os agregados do mesmo. Prova disso, foi a maior resposta ao tamanho da cabeça da alface ao aumentar as dosagens do composto, sendo este rico em matéria orgânica e com alto poder residual. Porém  tratando-se dos efeitos químicos(maior disponibilidade de nutrientes na solução do solo e em curto espaço de tempo) não influenciou tanto quanto a cama de aviário.

 

Analisando os valores do gráfico 07 comprova-se que pode-se substituir em condições experimentais, o uso da cama-de-aviário pelo composto urbano, desde que as quantidades utilizadas fossem triplicadas. Entretanto, esse raciocínio não pode ser extrapolado as demais olerícolas.

 

Em termos estatísticos a produção obtida pela testemunha absoluta não diferenciou das obtidas pelos tratamentos que receberam composto. Isto significa que embora houvesse efeitos do composto na produtividade da alface, este não foi suficiente para expressar diferenças significativas no primeiro cultivo, em relação a testemunha absoluta.

 

 

CONCLUSÕES

Em síntese, são as seguintes conclusões do projeto:

a) O Composto de Resíduo Urbano “FERTILURB” proporcionou ganhos consideráveis na produtividade das olerícolas estudadas, sendo que seus efeitos se tornaram maiores devido ao resíduos presentes nas aplicações anteriores;

 

b) O Composto de Resíduo Urbano “FERTILURB” pode substituir a cama-de-aviário, sendo importante usar no mínimo o dobro da dosagem da cama-de-aviário, principalmente no primeiro cultivo;

 

c) A resposta ao uso do Resíduo Urbano variou de acordo com a espécie de hortaliça;

 

d) O Composto de Resíduo Urbano “FERTILURB” usado até a dosagem de 100 ton/ha não proporcionou problemas de contaminação com metais pesados na cenoura;

 

e) O uso de até 120 ton/ha do Resíduo Urbano não trouxe problemas operacionais no plantio e condução dos experimentos no campo;

 

f) Avaliação Sócio-Econômica Ambiental do projeto:

® O uso do composto (FERTILURB) apresenta uma série de vantagens, já que constitui-se em uma excelente fonte de matéria orgânica e nutrientes para as plantas. Seu preço de comercialização è cerca de 8 a 10 vezes menos que a cama-de-aviário e portanto, considerando que a disposição de Resíduos Sólidos traz um excelente negócio para a agricultura. Além de considerar os prejuízos quanto a disposição de resíduos sólidos no tocante ao sanitarismo urbano e rural.

 

Desta forma, a compostagem usada na agricultura, diminuirá os custos de produção; incentivará a agricultura orgânica; diminuirá o volume de resíduos nos aterros; impactará menos o ambiente quanto as questões sanitárias (vetores, lençóis freátricos, etc...), gerando emprego nas áreas rurais do município do Rio de Janeiro.

 

Entretanto o custo ambiental é de difícil mensuração, porém cabe as autoridades e profissionais envolvidos reconsiderar este insumo disponível.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. 631.42 - Manual de adubação para o Rio de Janeiro - M 294 / Helvécio De-polli, Coordenador; / Colaboração / Dejair Lopes de Almeida ... [ et al ] - Itaguaí: Ed. Universidade Rural, 1988.

 

2. REINFELD, Nyles V. - Sistema de reciclagem comunitária / Nyles V. Reinfeld; tradução José Carlos B. dos Santos; Revisão técnica Rogério Raupp Ruschel. - São Paulo: Makron Books, 1994.

 

3. PESAGRO-RIO.

 

4. EMBRAPA / CNPS

 

5. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

 

6. TV - SERRAMAR / RURAL

 

7. PESAGRO-RIO / EENF.