Separar as embalagens: mais fácil era difícil

   29-08-2005

Separar as embalagens: mais fácil era difícil

Na separação das embalagens os portugueses já são vistos como um exemplo a seguir. Num dos seus últimos projectos, a Sociedade Ponto Verde (SPV), com a campanha “Separar Toca a Todos”, concluiu que dos 540 mil lares visitados no primeiro semestre deste ano, 80% apresentaram uma consciência “ecológica” e 61% provaram às equipas de monitores que separam correctamente as suas embalagens.

Pode pois concluir-se que o número de cidadãos com hábitos de reciclagem continua a subir de forma sustentada. No entanto, subsistem alguns comportamentos (e ideias pré-concebidas) que não são os mais correctos e que complicam algo que é muito simples. Para que todos possamos melhorar mais os hábitos de separação de embalagens, eis algumas noções do que está certo e errado neste gesto tão simples mas de uma importância vital para que o nosso índice de sucesso no processo de separação das embalagens seja ainda mais eficaz.

 

Designar o contentor amarelo de embalão é correcto?

Não, porque em todos os contentores se podem colocar embalagens: de vidro, de papel, de plástico e de metal, de acordo com as diversas cores.

No contentor amarelo colocam-se embalagens?

Sim, mas não quaisquer embalagens, apenas as de plástico e metal.

É mesmo necessário retirar tampas e rótulos das embalagens?

Não, porque o processo de reciclagem já prevê a remoção dos mesmos, não sendo necessário ao consumidor efectuar essa tarefa.

Em que Ecoponto devem ser colocadas as embalagens de cartão para líquidos alimentares?

As embalagens de cartão para líquidos são constituídas na sua maioria (cerca de 75%) por cartão, logo, devem ser colocadas no Ecoponto azul. Essa é também a indicação da maioria dos sistemas municipais do país. No entanto, alguns municípios recomendam que essas embalagens devem ser colocadas no Ecoponto amarelo e se é esse o caso da sua autarquia deverá seguir essa indicação.

Devem lavar-se as embalagens antes da sua colocação no Ecoponto?

Não é necessário lavar a embalagem, apenas reduzir ao máximo o produto que ela conteve para que não contamine as outras embalagens, e também para evitar os maus cheiros enquanto as embalagens estão armazenadas em casa.

O que é que se pode colocar nos Ecopontos?

Nos Ecopontos devem ser colocadas apenas e só embalagens, desde que usadas e vazias, com a execpção das revistas e jornais que também devem ser colocadas no contentor azul do ecoponto.

Devemos espalmar as embalagens antes de as colocarmos no Ecoponto?

Sim, pois dessa forma ocupa-se menos espaço em casa e no Ecoponto.

Onde se devem colocar as embalagens de óleo?

As embalagens de óleos alimentares já podem ter como destino final a reciclagem, deste modo devem ser depositadas no contentor amarelo do ecoponto.

As boas práticas da reciclagem começam em casa recorrendo, por exemplo, aos Ecopontos Domésticos, uma óptima solução para, de uma forma prática e higiénica, separar as embalagens. Em caso de dúvida, coloque as embalagens usadas e vazias no e Ecoponto! É tal e qual o mote da última campanha de publicidade: “Se se enganar, não há nenhum problema!

 

O que SE DEVE colocar E ONDE?

ECOPONTO AMARELO: PLÁSTICO E METAL

Embalagens de Plástico e Metal - garrafas, frascos, sacos, esferovite, latas e metalizados

 

ECOPONTO AZUL: PAPEL E CARTÃO

Embalagens de Papel e Cartão - Caixas e embalagens de papel e cartão, papel de impressão, jornais e revistas.

 

ECOPONTO VERDE: VIDRO

Embalagens de Vidro - Garrafas, frascos e boiões


Contentor de Lixo indiferenciado

Lixo Orgânico e tudo o que NÃO é embalagem.

 

Refira-se que as embalagens usadas, depois de recicladas, dão origem a materiais de qualidade como novos objectos e novas embalagens de uso quotidiano num ciclo interminável. Porém, sem a contribuição de todos nós este ciclo é quebrado. O melhor é seguir a regra de ouro: separe sempre as embalagens usadas!”

Sabia que cerca de 70% do material de que é feito o jornal ou a revista onde está a ler este artigo incorpora material reciclado?

 

FONTE: www.pontoverde.pt