BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RESPONSABILIDADE PÓS-CONSUMO PELA DEGRADAÇÃO AMBIENTAL

O meio-ambiente diariamente é agredido pela disposição inadequada de resíduos sólidos (lixo), numa conduta que se repete há décadas sem que medidas eficazes sejam tomadas para impedir esta irresponsável e gravosa conduta.

Esta destinação inadequada, além de agredir o meio ambiente, está inviabilizando a vida digna das pessoas, comprometendo, inclusive, a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade por estes danos ao meio ambiente, segundo a legislação vigente, é solidária, objetiva, direta e indireta, e envolve todas as pessoas e entes que participam do ciclo que vai da fabricação de um produto até a destinação de sua embalagem.

Porém, atualmente, apenas os Municípios estão arcando com esta responsabilidade, cabendo-lhes a coleta e destinação adequada dos resíduos sólidos urbanos, não existindo qualquer responsabilização dos fabricantes, produtores, importadores e demais entes que, indiretamente, também contribuem para o dano ambiental.

O presente trabalho, de forma concisa, pretende analisar a responsabilidade pós-consumo que, apesar de estar implicitamente prevista na Lei n.º 6.938, de 31/08/1981, poucos resultados práticos produziu até agora.

Check Also

Modelo para la estimación de costos de la gestión de residuos reciclables con inclusión de recicladores

Herramienta para el análisis de costos asociados a diferentes niveles de inclusión de recicladores, de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *