Do ponto de vista sanitário, o lixo é o grande responsável pela transmissão de doenças: a febre tifóide, salmoneloses e disenterias que são transmitidas pela mosca; a malária, febre amarela, transmitidas pelo mosquito; cólera, giardiase pela barata; o tifo-murino, leptospirose, diarréias, transmitidos pelos roedores. Por essa razão o lixo deve ser bem acondicionado e receber tratamento adequado. Ficando exposto, os vetores nele se proliferam, espalhando os riscos de contaminação.



Veja só o tempo de decomposição do lixo jogado no meio ambiente

(solo, matas, rios, lagos e mar)



Papel 3 meses



Pano 6 meses a um ano



Vidro > Indeterminado



Filtro de cigarro 1 a 2 anos



Madeira pintada 13 anos



Fralda descartável 600 anos



Plástico 450 anos



Lata de alumínio 200 a 500 anos



Lata de conserva 100 anos



Pneus Indeterminado



Tampa de garrafa 150 anos



Nylon 30 anos



lixo é o resto das atividades humanas, considerados pelos trabalhadores como inúteis, indesejáveis ou descartáveis. Normalmente, apresentam-se sob estado sólido, semi-sólido ou semi-líquido.O lixo tem como característica o teor de umidade- quantidade de água contida na massa do lixo-o poder calorífico- quantidade de calor gerada pela combustão do lixo, ele é heterogêneo, isto é, ele é composto de grandes números de materiais que não podem ser tratados.O lixo pode ser classificado como:

>Por sua natureza física: seco e molhado.

>Por sua composição química: matéria orgânica e inorgânica.

>Pelos ricos potenciais ou meio ambiente: perigosos, não-inertes.

Significado da palavra lixo: São restos das atividades humanas, considerados, pelos geradores como inúteis, indesejáveis ou descartáveis. Normalmente, apresentam-se sob o estado sólido, semilíquido, insuficiente para que este líquido possa fluir livremente.



A capacidade humana de inventar coisas novas traz benefícios, mas também causa problemas. Um dos problemas mais sérios é o esgotamento dos recursos naturais.



Tudo aquilo que consumimos foi produzido em algum lugar, depois de consumido deveria voltar para os ciclos da natureza. Mas certas coisas que inventamos, a natureza tem dificuldade para reciclar e que, caracterizam para o homem o seu modo de vida. Assim, por exemplo, ao homem não basta satisfazer a sua fome, ao contrário dos outros animais: além das razões biológicas, há o fator cultural. O modo de vida de cada povo acaba por exigir da natureza coisas diferentes e com intensidades desiguais.



A palavra lixo deriva do termo latim cinza. Na linguagem técnica é sinônimo de resíduos sólidos e é representado por materiais descartados pelas atividades humanas, os quais podem ser reciclados e parcialmente utilizados, tendo entre outros benefícios, proteção a saúde pública, economia de divisas e recursos naturais.



Em nossa sociedade, de caráter urbano-industrial, vivemos num ambiente onde a natureza foi profundamente alterada. Na maioria das cidades damos ao lixo a mesma atenção que lhe dávamos à época da caverna. Acontece que nessa época o lixo não era verdadeiramente um problema, fosse por sua diminuta quantidade, fosse porque a natureza facilmente o reciclava. O lixo é objeto dos mesmos preconceitos que nossa cultura destina à noite, à velhice, à doença, enfim ao que é ou está em via de tornar-se terminal. Padece, portanto, de processos mentais de rejeição e de exclusão, que faz com que se busque afastá-lo dos olhos e da convivência.



Até poucas décadas, mesmo nos grandes centros urbanos, o lixo se constituía basicamente de restos de alimentos.



Com o crescimento acelerado das metrópoles, do consumo de produtos industrializados, e mais recentemente com o surgimento dos produtos descartáveis, o aumento excessivo do lixo, a escassez de áreas para o destino final do lixo constitui um dos maiores problemas da

Ano da Publicação:
2007
Fonte:
http://sobrelixo.awardspace.com/lixo.php
Autor:
Rodrigo Imbelloni
Email do Autor: