EXCLUSIVO: Empresário de Curitiba (PR) apresenta “xaxim ecológico”, feito de pneus reciclados



Mônica Pinto / AmbienteBrasil



A Casa Cor Paraná 2007, a ser aberta hoje ao público em Curitiba (Avenida Vicente Machado, 1800), expõe um produto que tem tudo para cair no gosto do consumidor consciente. É o chamado “xaxim ecológico”, a partir do qual são confeccionados vasos, painéis e outros adornos que podem ser apreciados no ambiente “Casa da Vovó Moderna”.



Este xaxim que poupa a versão natural, Dicksonia selowiana, hoje sob ameaça de extinção, é feito de pneus reciclados.



Patenteado há quatro anos pelo empresário Gilberto Lunardon, o produto nasceu dentro das atividades de sua empresa, que já fabricava isolamentos acústicos com borracha reciclada. Com o resíduo desta fabricação, nasceu a idéia, desenvolvida inicialmente de modo quase artesanal.



O xaxim ecológico ainda tem um mercado tímido. Gilberto atende hoje quase que exclusivamente paisagistas, executores de projetos em hotéis e escolas, por exemplo.



“O custo é um pouco mais caro do que o de um vaso de plástico. As pessoas ainda escolhem mais pelo preço”, disse ele a AmbienteBrasil, explicando porque ainda não foi possível uma fabricação em grande escala.



Mesmo assim, a produção se expandiu para vários produtos. A empresa atualmente disponibiliza uma gama de opções elaboradas com o xaxim ecológico: tutores que conduzem o crescimento natural da planta; protetores anti-dengue (preenchimento de espaço no prato colocado sob o vaso), substituindo o uso de areia e favorecendo a umidificação; costaneiras idealizadas para jardins internos; pisadas antiderrapantes; cavacos que decoram e oferecem a possibilidade de aromatização do ambiente e, por fim, jardineiras, ideais para o aproveitamento de espaços em diferentes ambientes e utilizadas para o cultivo de diversas espécies vegetais.



O empresário diz que a idéia já foi copiada. “Estamos tomando providências jurídicas: ou param com isso ou nos pagam os devidos royalties”, antecipa.

Ano da Publicação:
2007
Fonte:
Ambiente Brasil - Notícias
Autor:
Mônica Pinto / AmbienteBrasil