As lâmpadas incandescentes convencionais são produzidas de vidro e metal. Elas não contém materiais prejudiciais ao meio ambiente. Na verdade, não há problema em se jogar as lâmpadas no lixo de casa. Porém, elas não devem ser jogadas em lixos para reciclagem de vidros, pois o tipo de vidro usado na produção de lâmpadas é diferente dos vidros convencionais.



As lâmpadas halógenas são preenchidas com uma pequena quantidade de gás halógeno mas, mesmo a quebra de muitas lâmpadas não oferece nenhum perigo às pessoas e ao meio ambiente. Portanto, podem ser jogadas no lixo de casa.



Lâmpadas fluorescentes tubulares, fluorescentes compactas e descarga da alta pressão contêm quantidades pequenas de mercúrio. Estas lâmpadas ao invés de serem jogadas em lixos específicos para vidros recicláveis ou em lixos de casa, devem ser enviadas para reciclagem apropriada.



As lâmpadas de sódio de baixa pressão também não precisam ser jogadas em locais especiais.



Quanto às embalagens, apesar de não possuírem materiais prejudiciais ao meio ambiente, elas possuem componentes recicláveis e, por isso, devem ser encaminhadas para reciclagem de papel.



Há muitas diferenças no design e nos materiais usados na produção dos vários tipos de lâmpadas. Até pouco tempo atrás era impossível prover a reciclagem completa da maioria das lâmpadas. Porém, recentemente, a OSRAM introduziu uma solução para este problema. Um novo conceito que permite a reciclagem de todas as lâmpadas inutilizadas durante o processo produtivo (por ex.: lâmpadas de sódio de alta pressão, lâmpadas de vapor de mercúrio e lâmpadas halógenas). Vidros, tubos quebrados e materiais refugados que não podem ser recuperados ou reintroduzidos na produção agora podem ser processados para virarem vidros ou frita (vidro já moído usado como esmalte para pisos e azulejos)

Ano da Publicação:
2007
Fonte:
http://br.osram.info/empresa/reciclagem.htm
Autor:
Rodrigo Imbelloni
Email do Autor: