Os pesquisadores da ONU também detectaram um problema inédito: uma espécie de “caridade do amigo-da-onça”. Algumas empresas de má fé, situadas nos países centrais, estão enviando computadores para os países mais pobres não porque estejam preocupados com a inclusão digital ou com a melhoria da educação nesses países: elas estão simplesmente se livrando de forma desonesta e ilegal de equipamentos cujo descarte seria problemática em seus países e cuja reciclagem é ainda técnica e economicamente pouco interessante.



Essas empresas inescrupulosas contam com a própria incapacidade dos países pobre e em desenvolvimento em viabilizarem o uso imediato dos equipamentos, que acabarão ficando encostados sem que ninguém verifique sequer se eles realmente funcionam. E os que ainda têm condições de funcionar, logo deixarão de ter utilidade, graças ao ritmo alucinante da obsolescência técnica.


Ano da Publicação:
2007
Fonte:
http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=595
Autor:
Rodrigo Imbelloni
Email do Autor: