O lixo é todo e qualquer material que sobra da atividade humana, ou da natureza, sendo que se gerado pela natureza, ela própria se encarrega de cuidar. Todos nós sabemos e temos ouvido falar sobre a problemática do lixo, sua destinação e o que este acarreta ao meio ambiente.



Produzimos o lixo durante nossa vida inteira, através das cascas de frutas do café da manhã, ou das migalhas de pão, com os restos do almoço, bitucas de cigarro e garrafas de refrigerantes vazias, os quais depositamos em sacos de lixo e colocamos para fora de casa, certo? Isto onde um caminhão da prefeitura passa e recolhe, com isso fizemos nossa parte e cuidamos da etapa que nos pertence.



Só ficamos zangados e tomamos alguma iniciativa, quando por algum motivo o lixo não é recolhido da frente de nossas casas. Então acionamos as autoridades e reclamamos nossos direitos, pois o lixo acumulado começa a proliferar insetos entre outras pragas, incomodando pelo mau cheiro e pelas prováveis doenças que possa gerar. Erramos ao considerarmos apenas a frente de nossas casas como nosso ambiente de responsabilidade, a cidade e o planeta também são nossos. São neles que encontramos as condições para nossa existência.



Os mesmos problemas que o lixo causa em frente das residências, quando levado pelos caminhões, também causam em outros lugares se não tratados de maneira correta, e cabe a nós, cidadãos, zelar pela qualidade de vida que recebemos, pois se somos capazes de gerar esse lixo, também temos de ter a consciência de transformá-los, para não prejudicar, nem poluir o meio ambiente.



Algumas soluções podem ser adotadas para contornar e resolver esses problemas, como a coleta seletiva do lixo (que realizamos dentro de nossa casa ou trabalho), a reciclagem (transformação de materiais utilizados em outros produtos), a educação e conscientização ambiental sobre a importância da reutilização e do não desperdício dos produtos e alimentos ou da redução do consumo de alimentos que produzam grande quantidade de lixo.



O lixo que produzimos é nossa responsabilidade, por isso é nosso dever cobrar e cuidar para que o mesmo não prejudique, nem comprometa as condições e padrões da vida hoje e nem das gerações futuras.







Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente.

Por Luiz Rafael Ferrari Pesce, Engº Agrônomo.

Ano da Publicação:
2007
Fonte:
http://www.adamantina.sp.gov.br/recicle/index.php?name=News&file=article&sid=10
Autor:
Rodrigo Imbelloni
Email do Autor: