Enfoque em Reciclagem modifica o design dos Pcs*1

Enfoque em Reciclagem modifica o design dos Pcs*1

Esta é uma lição que a indústria de computadores está aprendendo da forma mais difícil, enquanto tenta desenvolver planos executáveis para a reciclagem de milhões de Pcs, monitores e impressoras que foram montados nos últimos anos.

A CNETNews.com informa que empresas como Hewlett-Packard e Dell Computer começam a se envolver mais com a reciclagem de suas máquinas – e neste processo, estão sentindo pela primeira vez o quão difícil é lidar com muitos dos produtos produzidos pelo Vale do Silício (Silicon Valley*2).

O lado positivo é que examinando o processo de reciclagem, os produtores de computadores começam a mudar a forma com que produzem seus equipamentos, facilitando sua disposição sem que o meio ambiente seja agredido. Embora muitos produtores de PCs tenham um longo caminho a percorrer com seus esforços em reciclagem, algumas lições aprendidas já aparecem nas mudanças do design destes.

Por exemplo, a HP descobriu que não é uma tarefa fácil remover o filamento de mercúrio de seus scanners mais antigos. Porém, fazê-lo é parte essencial do processo de reciclagem, pois uma quantidade relativamente pequena de mercúrio poderia contaminar uma grande quantidade de equipamentos reciclados.

As empresas japonesas vêem uma vantagem competitiva em permanecer à frente das leis. A NEC, por exemplo, no ano passado introduziu um PC que possui uma caixa completamente reciclável e com placas de circuito totalmente sem chumbo.

Isto não quer dizer que as empresas americanas não tenham feito nada em relação à reciclagem. Grandes empresas como a HP, a Dell e a IBM têm recolhido equipamentos de clientes corporativos por anos, mas a ameaça crescente da legislação solicitando que todos os produtos sejam recolhidos tem incentivado muitas empresas a dar prioridade à questão dos recicláveis. Hoje em dia, as empresas estão se esforçando para lançar novos programas e oferecer incentivos, tais como cupons, para aqueles que reciclarem os seus equipamentos antigos.

E não somente os produtores de PCs e impressoras estão entrando em ação. A empresa de telefones celulares AT&T Wireless anunciou recentemente um programa para recolhimento de telefones não utilizados. Aqueles que puderem ser recuperados serão doados à Cruz Vermelha, enquanto os outros serão reciclados.

Basicamente, as regulamentações nos Estados Unidos e outros locais, poderiam obrigar todos os produtores de eletrônicos a se responsabilizarem pelos custos da disposição de seus equipamentos obsoletos. As regulamentações Européias, em particular, responsabilizam o produtor das mercadorias, e não quem as utiliza. Em conseqüência, os produtores de eletrônicos são incentivados a modificar a forma com que projetam os seus produtos, e a diminuírem os seus encargos nos próximos anos. Em muitos casos, isto significa acabar com práticas tais como embutir roscas metálicas em caixas plásticas, ou misturar diversos tipos de plásticos. Também significa interromper a utilização de materiais nocivos tais como os já mencionados, chumbo e bromo, que são utilizados como retardadores de chama.

O que existe em um rótulo?

Ás vezes pequenos detalhes fazem a diferença. Por exemplo, a HP descobriu que um dos impedimentos para a reciclagem de alguns de seus equipamentos era o logotipo HP, de multicamadas, que é colado nos produtos. A HP retirou algumas destas camadas, obtendo um logotipo menos chamativo, mas também, não nocivo ao meio ambiente.

Mas a HP também está pensando de uma forma mais abrangente-o fato de estar criando milhões de PCs e impressoras que ficarão obsoletos em poucos anos. Em seus laboratórios, a empresa tem desenvolvido protótipos de uma impressora jato de tinta que possui invólucro plástico feito de milho e não de petróleo. O invólucro é projetado para durar o tempo de vida útil do equipamento, e ainda é biodegradável, com a combinação certa de sol, terra e umidade, quando os seus dias de utilidade terminarem. Po

Ano da Publicação: 2003
Fonte: WARMER BULLETIN ENEWS #15-2003: April 26, 2003
Autor: Kit Strange (Warmer Bulletin)
Email do Autor: kit@residua.com

Check Also

Lixo é no lixo

BY RICARDO RICCHINIIN RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO — 7 MAI, 2015 Lixo é no lixo, …