Latas de lixo ganham microchips

(Madrid-Espanha) A cidade de Barcelona está literalmente colocando microprocessadores no lixo. A cidade espanhola anunciou os seus novos planos de equipar as suas latas de lixo públicas com chips de memória projetados para armazenar dados, como com quanto lixo a lata está cheia e quando foram esvaziadas pela última vez, segundo a prefeitura de Barcelona.

A companhia terceirizada de saneamento público CLD (Cooperativa de Usuarios del Servicio de Limpieza Pública Domiciliaria de Barcelona) pretende instalar os chips diretamente nos contêiners. O sistema completo irá custar uma quantia estimada em mais de US$ 110 mil.

Empregados do serviço de limpeza pública, com a ajuda de um computador portátil, poderão gravar e analisar os dados sobre as últimas três vezes que uma lata de lixo foi esvaziada, e até mesmo quando ela foi pintada pela última vez. Os dados, junto com um software proprietário, irão ajudar a planejar rotas e horários mais eficientes para a coleta de lixo.

Para implementar o novo sistema, a cidade deve iniciar a instalação dos chips em 600 contêiners na área da Cidade Antiga de Barcelona e, em seguida, o sistema deve ser expandido com a instalação dos chips em mais 18 mil latas de lixo públicas em toda a cidade

Ano da Publicação: 2001
Fonte: Saneamento Básico, o Site
Autor: J. H. Penido
Email do Autor: jpenido@resol.com.br

Check Also

Aterros sanitários: será que existe solução?

Uma notícia me chamou atenção nesta semana. Na abertura da 18ª Marcha em Defesa dos …