Os resíduos sólidos industriais, caracterizam-se como fontes altamente poluentes do solo. O presente

(cerca de 7.800 km) do total de quilômetros de rodovias não-pavimentadas poderia consumir mais de 11 milhões de

pneus inservíveis. Com um descarte anual estimado em 44 milhões de pneus, a incorporação de borracha de pneus ao

pavimento asfáltico pode contribuir significativamente para o equacionamento da questão da disposição final desses

resíduos no país. Este trabalho apresenta os resultados parciais de um estudo laboratorial que teve por objetivo avaliar o

efeito produzido pelo teor e granulometria da borracha reciclada de pneumáticos sobre as propriedades de uma mistura

asfáltica densa. Foram preparadas misturas asfálticas com duas granulometrias de borracha, substituindo parte dos

agregados pétreos em algumas frações da curva granulométrica ("processo seco"). Essas misturas foram comparadas a

uma mistura de controle, sem borracha. Para avaliação das propriedades mecânicas, as misturas foram submetidas ao

ensaio de compressão diametral dinâmico para determinação do módulo de resiliência, ao ensaio de resistência à tração

por compressão diametral e ao ensaio de trilha de roda em equipamento simulador de tráfego em laboratório. Os

resultados mostram que a adição de partículas mais finas propicia a melhora no desempenho em termos de resistência à

deformação permanente. O módulo de resiliência cai significativamente com adição de uma pequena quantidade de

borracha, mas não proporcionalmente à redução da resistência à tração, sugerindo, em princípio, uma maior flexibilidade

e resistência à fadiga. A adição de borracha de pneus em obras de pavimentação asfáltica pode contribuir para a

minimização dos problemas relacionados à disposição final dos pneus inservíveis e, ao mesmo tempo, melhorar algumas

propriedades de engenharia das misturas asfálticas

Check Also

Floripa avança para a coleta porta a porta em quatro frações

Capital corre para alcançar metas lixo zero 2030. Seletiva flex, com coleta exclusiva de vidro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *