TRATAMENTO DO CHORUME DO ATERRO METROPOLITADO DE GRAMACHO – RIO DE JANEIRO – BRASIL

O aterro metropolitano do Rio de Janeiro, operado pela COMLURB-Cia. Municipal de Limpeza Urbana, recebe até 7000 toneladas de resíduos urbanos e gera aproximadamente

384 m 3 de chorume diariamente.

No início de janeiro de 2000 foi iniciada a operação da estação de tratamento de chorume Desde esta data o

chorume tratado tem sido descartado para a baía de Guanabara. Parte do volume gerado 184 m 3 diários, tem sido

recirculado.

O sistema de tratamento é composto de equalização em lagoa, tratamento físico-químico de coagulação e

clarificação e correção do pH, seguida de tratamento biológico aeróbio por lodos ativados. O polimento do chorume

é obtido pelo processo de membranas de nanofiltração.

As dificuldades encontradas referem-se a baixa biodegradabilidade das substâncias formadoras do chorume, às

concentrações de amônia superiores a 1500 mg/L e concentrações de cloretos superiores a 8000 mg/L na época do

início da operação da estação.

Além da remoção da matéria orgânica medida como DBO e DQO, obtem-se excelente redução de amônia, da cor e

da toxicidade do chorume. O efluente tratado apresenta aspecto claro, sem odor e com as características físico-químicas

conforme as permitidas pela legislação ambiental regional

Check Also

Apenas 39 dos resíduos domésticos gerados no DF têm reciclagem como destino

Dados do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) mostram que só uma parte do lixo produzido …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *