Pague pelo seu Lixo: Honolulu é atraída

Em Tampa, Flórida, sugestões para a redução das coletas de lixo no passeio não são consideradas bem vindas. Porém, em Austin, Texas, a conversão do programa de coleta de duas vezes por semana para o programa “Pague pelo seu lixo” (PAYT*4) alcançou o seu objetivo em desviar o lixo do aterro sanitário e incentivar mais a reciclagem. Estes dois exemplos foram mencionados no Honolulu Advertiser, Havaí, pois agora Honolulu está na iminência de fazer parte do grupo das comunidades PAYT.

O Conselho da Cidade está estudando uma proposta que eliminaria uma coleta regular semanal de lixo e a substituiria pela coleta alternada de resíduos orgânicos e de reciclagem de lixo de passeio. Moradores que desejassem a segunda coleta regular de lixo, pagariam US$8 por mês.O programa de reciclagem seria oferecido a 160,000 domicílios que já possuam coletores de lixo automatizados. Outros 80.000, principalmente apartamentos, não serão afetados.

Algumas das mercadorias recicladas serão utilizadas localmente, com vidro triturado transformado em pavimentação de “asfalto de vidro”, plástico em tábuas, e resíduos de madeira e papel em isolamento de celulose e palha úmida*5, de acordo com a porta voz da cidade. Outros produtos reciclados serão transportados para o continente e Ásia, onde o mercado para material reciclado é forte.

A proposta deve ser aprovada pelo Conselho da Cidade, que poderia aperfeiçoar o programa. Até agora, o presidente do conselho,Gary Okino, sugeriu que a taxa de US$8 mensais seja obrigatória,permitindo que os moradores mantenham a coleta de lixo duas vezes por semana.

Se aprovado, o programa de reciclagem poderia ser implementado já no primeiro dia de Julho. Embora a cidade não tenha baseado seu programa de reciclagem em qualquer outro programa de reciclagem de lixo de passeio, a proposta tem elementos em comum com cidades no continente – onde algumas têm coleta de lixo semanal, algumas compartilham recipientes para lixo e recicláveis, e outras cobram taxas, dependendo da quantidade de lixo produzido.

San Diego tem um programa que fornece coleta de lixo gratuita, e é similar à proposta do prefeito de Honolulu. O programa em San Diego tem uma participação entre moradores acima dos 50 por cento projetados por O´ahu.

“Nosso lixo é coletado toda semana e a reciclagem é realizada a cada duas semanas”, disse Nicole Hall, responsável pela supervisão de informação pública da cidade de San Diego. Aproximadamente 80 por cento de moradores reciclam “, ela afirmou.

A maior diferença é que os latões de lixo de San Diego são menores, podendo conter 242.24 litros contra os de Honolulu, que podem conter 363.36 litros, porém, os moradores de San Diego recebem um latão à parte para os recicláveis. Um segundo latão com rodas custaria US$70 em Honolulu. Um segundo latão de lixo em San Diego chega a US$50.

Em um esclarecimento da proposta de Honolulu, Frank Doyle, diretor em exercício de serviços do meio ambiente de Honolulu, disse que os latões disponíveis para venda somente devem ser utilizados para reciclagem e resíduos orgânicos e não como recipiente de lixo adicional.
” A cidade decidiu contra o fornecimento gratuito de um latão para reciclagem para cada domicílio, tendo em vista os custos “, disse ele.” Nós não queríamos levantar dinheiro extra para latões tendo em vista que não o possuímos “, disse. A taxa opcional de US$8 para um segundo dia de coleta leva Honolulu para mais perto dos programas no país onde as taxas do usuário são determinadas pela quantidade de lixo produzido, afirmou Doyle. Por exemplo, Austin iniciou a redução para coleta de lixo semanal no início dos anos 90, quando teve início o programa “Pague pelo seu lixo”.

Neste programa, os moradores escolhem um recipiente de 113.55, 227.1 ou 340.65 litros e pagam uma taxa mensal que varia de US$11.75 a US$17.25, dependendo do tamanho do latão. Se o lixo não couber no recipiente

Ano da Publicação: 2003
Fonte: WARMER BULLETIN ENEWS #15-2003: April 26, 2003
Autor: Kit Strange (Warmer Bulletin)
Email do Autor: kit@residua.com

Check Also

AMBIENTE NA EUROPA MELHOROU NOS ÚLTIMOS 5 ANOS

Um relatório divulgado pela Comissão Europeia no início de março mostra que, nos últimos cinco …