Propagando estilos de vida “legais” – a chave para vender produtos limpos e verdes.

Psicólogos e especialistas em comportamento humano estão sendo convocados pelo Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP – sigla em inglês) numa nova iniciativa, pioneira, para salvar o planeta.



Especialistas do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) acreditam que as mensagens tradicionais de governos e grupos “verdes”, incitando o público a adotar estilos de vida ecologicamente amigáveis e comprando habitats, precisam ser revistas.



Há a preocupação de que muitas destas mensagens estão muito carregadas de culpa e críticas, e em vez de provocar paixão pelo meio ambiente estão afastando as pessoas.



Klaus Toepfer, Diretor Executivo do UNEP, disse: “As mensagens dos governos, exortando as pessoas a usarem menos seus carros ou censurando-as por comprarem produtos que causam dano ao meio ambiente, parecem não funcionar mais. As pessoas simplesmente não estão escutando. Fazer as pessoas se sentirem culpadas por seus estilos de vida e hábitos de compra, tem sucesso limitado”.



Realmente os estudos indicam que apenas cinco por cento do público dos países do hemisfério norte estão adotando os chamados estilos de vida sustentáveis e consumo sustentável.



”De modo que precisamos dar uma olhada em como nós convocamos o público para reduzir a poluição e viver de maneira que cause o mínimo de dano ambiental. Nós precisamos transformar estilos de vida sustentáveis em modismo e coisa “legal” como diriam os jovens. Nós também precisamos deixar claro que há benefícios reais e pessoais no ato de viver em harmonia com o planeta”, ele disse.



Especialistas do UNEP citaram as campanhas da KIA, fabricante coreana de carro e a indústria européia de detergente, como dois exemplos de venda de consumo e estilos de vida positivos e ecologicamente amigáveis.



A KIA tem uma campanha no Reino Unido que estimula as pessoas a não usarem os carros para as jornadas curtas mas sim para as longas. Cada carro novo comprado é provido de uma “mountain bike”, e a empresa ajuda a organizar os “ônibus que caminham”. Estes criam uma rede de pais que dão assistência acompanhando as crianças à escola a pé.



A campanha européia “lave certo”, eleva às alturas as virtudes do lavar a temperaturas baixas, enfatizando os benefícios para as roupas e a economia de energia.



A busca de cientistas sociais e comportamentais é realizada sob o comando do Programa de Consumo Sustentável da UNEP e da Iniciativa Ciclo de Vida que estão analisando uma ampla série de detalhes, da etiquetagem ao desenho ecológico do produto, para liberar mais consumo ecologicamente amigável.



Eles elogiam iniciativas, algumas das quais são orquestradas pela UNEP, para desenvolver uma rede de centros de produção mais limpa por todo o globo, para reduzir os processos de fabricação poluentes.



Padrões de consumo sustentável e como governos, indústria e público podem conseguir isso representando seus papeis, estão entre os assuntos-chave que estão em discussão esta semana no 22º Conselho de Governo da UNEP que acontece em Nairobi, no Quênia.



Mais de 50 jovens do mundo inteiro salientaram a importância do assunto em uma declaração dirigida aos ministros: “Nós nos comprometemos com campanhas que ampliem o interesse pela mudança de estilo de vida a nível de comunidade e pedimos aos governos que encorajem mais o consumo sustentável. Nós apoiamos o programa YouthXChange da UNEP como um ótimo exemplo de trabalho neste campo.



Ela mostra o estudo de casos de organizações de jovens que realmente fizeram a diferença, alcançando padrões de compra sustentável. Por exemplo, uma empresa de moda no Brasil, a Copa Roca, fez grande sucesso e obteve lucro na fabricação de roupas com tecidos reciclados.



Jacqueline Aloisi de Larderel, Diretora da Divisão de Tecnologia, Indústria e Economia da UNEP, que encabeça a nova iniciativa, disse: “Consumo sustentável não quer dizer consumir menos mas sim consumir de o

Ano da Publicação: 2003
Fonte: Warmer Bulletin #05-2003: February 16
Autor: Kit Strange (Warmer Bulletin)
Email do Autor: kit@residua.com

Check Also

Lixo é no lixo

BY RICARDO RICCHINIIN RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO — 7 MAI, 2015 Lixo é no lixo, …